pessoa passando pagamento na maquininha de cartão
Inovação 30/04/2024

Bancos de varejo: o que são e como funcionam? Veja exemplos!

Compartilhar Array

Se você quer ampliar e diversificar a receita do negócio, é hora de aprender sobre os bancos de varejo. Afinal, não é à toa que estão ganhando o mercado, principalmente entre as grandes marcas varejistas.

No Brasil e em outros países, as marcas tradicionais do varejo apontam uma tendência que veio para ficar: sua atuação também como instituições financeiras.

Esse processo, chamado de “fintechização”, remete ao fato de empresas incorporarem serviços e produtos de finanças mesmo sem operar no setor. 

E claro que ele só é possível devido ao avanço da tecnologia que permite a gestão de grande quantidade de dados (Big Data) e a criação de plataformas BaaS (Banking as a Service), que possibilitam as operações.

Vamos aprender mais sobre isso? Saiba o que são bancos de varejo e como ajudam a engajar clientes e parceiros, além de expandir a receita do negócio!

O que são bancos de varejo?

Os bancos de varejo são instituições financeiras criadas por redes varejistas a fim de oferecer produtos e serviços aos seus clientes – pessoas físicas. Seu funcionamento é similar a um banco tradicional, disponibilizando soluções como:

  • cartão de débito e crédito;
  • contas corrente e digital;
  • cartão pré-pago;
  • empréstimos;
  • financiamentos;
  • conta-poupança;
  • transferências, como Pix;
  • seguros;
  • maquininhas de cartão;
  • investimentos;
  • entre outras.

Porém, resumir o banco de varejo à oferta de soluções financeiras por grandes redes mostra apenas um lado da moeda, pois representa mais do que isso. Essa instituição agrega soluções que facilitam a vida dos clientes, contribuindo com a jornada de compra.

Isso resulta em um relacionamento mais próximo e duradouro com seu público, gerando relação de confiança; maior conhecimento sobre o comportamento e as necessidades dos consumidores; e estímulo à fidelidade com a marca (e mais vendas).

Banco de varejo x banco de atacado

Você sabia que também existe banco de atacado? A maior diferença em relação ao de varejo é que o foco são clientes-empresas, isto é, pessoas jurídicas.

Além disso, destacamos que o banco de varejo lucra por meio do pagamento de juros e taxas referentes aos produtos e serviços, enquanto o de atacado pela margem de juros de credores e devedores.

Como funcionam os bancos de varejo?

Os bancos de varejo funcionam com estrutura parecida do embedded finance (finanças embutidas): o conceito diz respeito a uma empresa, sem experiência e conhecimento no setor financeiro, que oferece soluções dessa área. Porém, de modo geral, eles atuam como um banco tradicional e sua oferta de produtos e serviços.

Apesar de funcionar de modo parecido, isso não quer dizer que é o mesmo, pois, geralmente, o banco criado por redes varejistas atende diretamente a uma necessidade pontual dos seus clientes, já que as instituições tradicionais não estão suprindo.

Quer ver um exemplo para entender de uma vez como funcionam os bancos de varejo? Nos casos de empréstimos e financiamentos, a taxa de juros costuma ser mais baixa, a quantidade de parcelas maior e a burocracia para ter acesso ao crédito, menor.

Adicionalmente, o processo de solicitar um cartão de crédito e abrir uma conta corrente ou digital é facilitado e, normalmente, não tem cobrança de tarifas para certas operações, como extrato, transferência etc.

Quais as vantagens dos bancos de varejo?

São muitas as vantagens dos bancos de varejo para as redes e, também, para seus clientes. E todas elas impactam diretamente o aumento da competitividade da marca no mercado de atuação.

Aliás, isso acontece por vários motivos, que, inclusive, são benefícios diretos:

  • atração de novos clientes e fidelização dos antigos;
  • aumento do faturamento pela expansão do portfólio de produtos e serviços;
  • diferenciação da concorrência;
  • relacionamento mais estreito e duradouro com o público;
  • aumento da visibilidade da marca;
  • melhora da jornada de compra do cliente;
  • conhecimento mais aprofundado do público pela coleta e integração de dados.

Como se tornar um banco de varejo?

O empresário deve buscar uma empresa (ou fintech) que disponibilize soluções de BaaS (Banking as a Service) e APIs modulares (aplicações de integração entre sistemas).

Lembre-se sempre de fazer uma excelente pesquisa para definir o que seus clientes precisam e quais empresas podem suprir as necessidades da rede varejista. Tais negócios costumam disponibilizar soluções personalizáveis, podendo ser 100% adaptadas à identidade visual da marca.

Exemplos de bancos de varejo no Brasil

Para todo esse conhecimento fixar melhor na sua mente, separamos alguns exemplos de bancos de varejo no Brasil, como: MagaluPay, Mercado Pago, Grupo Casas Bahia e Conta Digital iFood. Veja detalhes sobre eles!

MagaluPay

A Magazine Luiza, uma das maiores redes varejistas do país, criou o MagaluPay, focado em proporcionar soluções financeiras para seus clientes e fornecedores. 

Esse banco de varejo da Magalu foi criado após a compra da Hub Fintech, que atua com BaaS, oferecendo cartões de débito e crédito, carteira digital, investimentos, cashback, Pix, seguros, empréstimos e mais. Para os parceiros, disponibiliza antecipação de recebíveis e soluções de cobrança.

Aliás, para ter uma ideia do sucesso, em 2022, a marca revelou que, durante os dois anos de operação, houve um volume de transações processadas de R$ 90 bilhões para 8,9 milhões de contas e emissão de 7,1 milhões de cartões.

Mercado Pago

O Mercado Livre, varejista on-line, foi pioneiro na criação do seu banco de varejo, o Mercado Pago. Fundado em 2003, hoje ele conta com soluções completas para clientes e empresas, como meios de pagamento, cartão, empréstimos, investimentos e criptomoedas, entre outros.

Grupo Casas Bahia

O Grupo Casas Bahia (ex-Via e ex-Via Varejo), dono de marcas como Casas Bahia, Ponto e Extra.com, também propicia soluções financeiras aos seus clientes:

  • banQi: carteira 100% digital, com acesso ao carnê Casas Bahia, empréstimos, financiamentos e variados serviços bancários, como cartões;
  • Rede Celer: comprada pelo grupo em 2021, essa rede atua com BaaS e permite que outras fintechs tenham acesso a diversas soluções bancárias e de pagamentos.

Conta Digital iFood

O iFood inovou e criou o chamado “banco dos restaurantes” em 2020. A Conta Digital iFood é exclusiva para estabelecimentos parceiros da marca e traz muitos benefícios, como crédito, gestão financeira, taxa exclusiva de 1,49% no Plano de Repasse em 1 Semana e Pix gratuito e ilimitado.

Dá para integrar toda a gestão financeira da rede com bancos de varejo?

A boa notícia é que sistemas modernos e inteligentes podem ser integrados a várias outras plataformas por meio de APIs. Logo, as operações do banco de varejo podem ser reunidas em um só local, facilitando a gestão financeira da rede. Afinal, ele representa mais uma fonte de renda – e despesas.

E, por isso, precisa ser bem gerenciado para lucrar e oferecer boas experiências e soluções ao público.

Para facilitar a gestão da sua rede, use o F360 Painel, um software que reúne todos os resultados financeiros das franquias, automatizando processos e documentos, criando clusters e muito mais. Faça uma demonstração e conheça!

Compartilhar Array
Avatar photo
Escrito por:

Henrique Carbonell

CEO & CoFounder at F360 - Franchisee at O Boticário