homem e mulher conversando na frente de um notebook
Franquias 01/05/2024

Entenda as responsabilidades do franqueado e do franqueador

Compartilhar Array

O mercado de franchising é uma parceria e, como tal, os envolvidos precisam trabalhar juntos para alcançar o sucesso tão esperado. Uma forma de conseguir isso é deixando claras e definidas quais são as responsabilidades do franqueado e do franqueador.

Pense nisso como grandes times de futebol, vôlei ou basquete. Cada atleta sabe a função que tem que exercer e a obrigação que precisa cumprir, não é mesmo? Apesar dessa divisão, o objetivo de todos é um só: ganhar as partidas e, no final, o campeonato.

Por outro lado, se os esportistas não soubessem seus papéis, nem o que deveriam fazer ou tomassem decisões sem pensar uns nos outros, as chances de vitória seriam, praticamente, inexistentes — isso sem contar o quanto um atrapalharia a performance do outro. 

Esse é um exemplo fictício da importância de deixar claro para as pessoas que têm o mesmo propósito o que se espera de cada uma. Porém, essa lógica pode facilmente ser usada quando o assunto é responsabilidade perante terceiros em franchising.

Dito isso, continue a leitura para ver o que cada um que faz parte desse tipo de parceria precisa cumprir e as consequências de não realizar as obrigações.

Quais são as principais responsabilidades do franqueado e do franqueador?

As responsabilidades do franqueado e do franqueador incluem pontos como definição e cumprimento de regras e parâmetros de funcionamento da rede, oferta e participação em cursos e treinamentos, entre outros, que, quando cumpridos, ajudam as lojas a vender mais e atingir o sucesso esperado.

Essas obrigações estão listadas em documentos como: contrato de franquias, manual de operações, Lei das Franquias (Lei nº 13.966/19), Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) e Circular de Oferta de Franquia (COF). Falaremos sobre essa última mais adiante.

Para você entender melhor, separamos cada uma delas conforme o papel e a participação das partes. Veja!

Franqueador

  • Definir o modelo de negócio e as regras
  • Elaborar a Circular de Oferta de Franquia
  • Homologar os fornecedores
  • Treinar e prestar suporte aos franqueados
  • Acompanhar o desempenho das unidades

Confira os detalhes!

1. Definir o modelo de negócio e as regras

É papel de quem idealizou a rede de franquias definir como as lojas devem funcionar, quais produtos/serviços serão vendidos, de quais maneiras e por quais canais, entre outros detalhes que afetam a dinâmica e o funcionamento do negócio.

Aqui, também entram o planejamento de marketing, o plano de expansão e a definição de estratégias. 

Ah! Lembrando que tudo isso começa a partir da criação do perfil do público-alvo, que é uma responsabilidade perante terceiros em franchising que deve ser cumprida pelo franqueador.

2. Elaborar a Circular de Oferta de Franquia

Esse é um documento que descreve todos os detalhes sobre o negócio. Ele deve incluir: investimento inicial, valores das taxas e condições de pagamento, regras, diretrizes, questões legais, direitos e deveres de cada um. 

Basicamente, a COF apresenta todas as responsabilidades do franqueado e do franqueador, por isso é tão importante — tanto que está prevista na Lei das Franquias.

Veja todos os detalhes no artigo: “Circular de Oferta da Franquia: manual completo para não errar

3. Homologar os fornecedores

Todas as lojas precisam ser abastecidas igualmente, seja com produtos prontos para a venda ou matéria-prima para produzi-los. Cabe ao franqueador encontrar os fornecedores certos e garantir que eles tenham condições de abastecer toda a rede.

4. Treinar e prestar suporte aos franqueados

O treinamento para franquias é a capacitação necessária para que o franqueado e seus funcionários trabalhem nas lojas. Como o mercado de franchising também inclui o compartilhamento de know how, é responsabilidade do franqueado dividir esse conhecimento.

Mesmo com todas as orientações, é fundamental disponibilizar canais de suporte para os franqueados tirarem dúvidas sempre que necessário.

5. Acompanhar o desempenho das unidades

Também é papel do franqueador ficar de olho na performance de cada uma das unidades. Afinal, para o público, trata-se de uma única marca e, se uma fizer algo diferente da outra, pode comprometer seriamente a imagem da rede.

Outro ponto que precisa ser acompanhado de perto é a rentabilidade. Se uma loja estiver com faturamento muito abaixo das outras, por exemplo, é necessário descobrir o motivo e orientar o franqueado sobre o que ele pode fazer para mudar a situação.

Uma boa maneira de fazer esse monitoramento é usando soluções como o F360 Finanças, sistema de gestão financeira multiempresas. Confira, no vídeo abaixo, como essa ferramenta funciona.

Franqueado

  1. Participar dos treinamentos e orientar corretamente os funcionários
  2. Cumprir todas as regras e seguir o modelo de negócio
  3. Pagar as taxas, os custos e as despesas em dia
  4. Garantir a qualidade dos produtos/serviços
  5. Buscar ajuda do franqueador sempre que necessário

Veja mais detalhes!

1. Participar dos treinamentos e orientar corretamente os funcionários

É dever do franqueado participar de todo o fluxo de orientação passado pelo franqueador. Somente dessa forma saberá exatamente como trabalhar e orientar os colaboradores. 

Tão importante quanto, fornecer treinamentos garante que todas as unidades funcionem de forma igual, lembrando que o cumprimento dessa padronização é responsabilidade de quem administra a loja.

2. Cumprir todas as regras e seguir o modelo de negócio

Toda franquia segue uma determinada identidade visual. Também vende os mesmos produtos ou serviços. Do layout ao uniforme dos funcionários, passando pelo atendimento aos clientes e todas as regras de funcionamento, tudo precisa estar alinhado.

Como o franqueado foi devidamente orientado e treinado sobre isso, é responsabilidade dele cumprir tudo o que foi estipulado em contrato.

3. Pagar as taxas, os custos e as despesas em dia

A taxa de franquias é um valor pago ao franqueador no início da parceria, que autoriza o uso da marca e a venda das soluções. Além dela, é preciso pagar as tarifas contínuas, que são as taxas de royalties, marketing e sistema.

Todas são responsabilidade do franqueado, que deve fazer uma boa gestão financeira para arcar com outros compromissos monetários, a exemplo de contas de consumo, como água e luz, impostos, aluguel da unidade, salário e benefícios dos funcionários da loja etc.

4. Garantir a qualidade dos produtos/serviços

Por mais que seja responsabilidade do franqueador homologar os fornecedores, cabe ao gestor da unidade garantir que matérias-primas, produtos e serviços sejam vendidos com a máxima qualidade.

Aqui, estamos falando sobre verificar prazos de vencimento, acompanhar prazos de entrega de mercadorias ou instalação de serviços e outros pontos que podem afetar o relacionamento com os clientes e, por consequência, a imagem da marca.

5. Buscar ajuda do franqueador sempre que necessário

Já comentamos várias vezes sobre os treinamentos, certo? Porém, o dia a dia de uma franquia é bastante dinâmico e nada impede que situações novas surjam.

Na dúvida sobre o que fazer perante as dúvidas, o franqueador deve buscar a ajuda do franqueado. Isso evita, por exemplo, tomadas de decisão que podem despadronizar a rede e, até mesmo, gerar desentendimentos com donos de outras unidades.

Dica de leitura: “Como deve ser o relacionamento entre franquias e franqueados?

E quais são as obrigações entre franqueado e franqueador?

Além das responsabilidades do franqueado e do franqueador que acabamos de citar, existem algumas obrigações comuns aos dois. Algumas das mais importantes são:

  • formar uma relação profissional saudável: a fim de evitar atritos desnecessários que podem comprometer o futuro da parceria; 
  • manter uma boa comunicação: preferencialmente pelos canais oficiais da rede, com conversas claras e respeitosas;
  • realizar as atividades com honestidade e transparência: especialmente as que envolvem questões financeiras e legais;
  • cumprir as cláusulas do contrato: aliás, o descumprimento desse documento pode levar ao pagamento de multas e à abertura de processos judiciais, dependendo do que foi combinado.

Agora que você sabe quais são as principais responsabilidades do franqueado e do franqueador, que tal mais uma dica que pode facilitar o cumprimento de todas essas obrigações? 

Usar a tecnologia certa faz toda a diferença na separação das tarefas e no atendimento delas. Entenda mais lendo este artigo: “Sistema financeiro multiempresas: como ele muda a gestão de franquias?“.

Compartilhar Array
Avatar photo
Escrito por:

Maurício Galhardo

Head e curador do F360 Educa, apaixonado por finanças, autor de três livros de negócios e gestão financeira, com ampla experiência em treinamentos e palestras. Já treinou mais de 20 mil pessoas no varejo!