Franquias de sapato
Finanças 25/01/2024

Taxa de franquias: como saber o valor que precisa ser pago?

Compartilhar

A taxa de franquias é um valor único e fixo que precisa ser pago pelo franqueado ao franqueador no início da parceria. Ela se refere à permissão de uso da marca, oferta de produtos e/ou serviços e propriedade intelectual da empresa. 

Se você está dando os primeiros passos no universo do franchising, entender como funciona e de que maneira é feito o cálculo dessa cobrança é fundamental. Afinal, ela corresponde a um dos primeiros investimentos feitos no seu novo negócio.

Porém, atenção! Outro ponto importante que você precisa saber é que essa não é a única taxa cobrada para a abertura de uma franquia. Nesse mercado, existem também tarifas contínuas, como a taxa de royalties, de marketing e de sistema.

Pensando em todos esses valores, quanto será que eles afetam o orçamento mensal de uma unidade franqueada? É possível saber, antes, a quantia que precisa ser paga? 

Para ter essas e outras respostas, siga a leitura deste artigo e fique por dentro de tudo!

O que é a taxa de franquias?

A taxa de franquias — também chamada de taxa inicial ou taxa de ingresso —, é uma cobrança única realizada no momento da assinatura do contrato entre franqueado e franqueador. Ela corresponde à autorização de uso da marca, do modelo de negócio, dos produtos, serviços e demais pontos relacionados à rede franqueada.

Além de permitir o uso do nome da empresa e de todas as suas características e particularidades, essa taxa também gera para os franqueados benefícios como suporte, treinamento para franquias, acesso a metodologias e sistemas de trabalho, entre outros.

Já os franqueadores costumam utilizar a taxa de franquias para cobrir os custos que a rede tem com prospecção, iniciação dos novos parceiros e a prestação de suporte e treinamento que citamos.

A taxa de ingresso também é uma forma que a franqueadora tem de reaver os valores gastos com o desenvolvimento da empresa e outros que vêm com esse processo, como parte administrativa, operacional e gerencial. 

Sugestão de leitura: “Como deve ser o relacionamento entre franquias e franqueados?

Quais são as taxas de uma franquia?

Lembra que, logo no início deste artigo, dissemos que fora a taxa de franquias existiam outras cobranças? Essa prática é permitida pela chamada Lei das Franquias, lei n° 13.966 de 26 de dezembro de 2019

Na lei em questão, está citada a obrigatoriedade da elaboração da Circular de Oferta de Franquia (COF), que é um documento criado e emitido pelo franqueador, o qual deve trazer todas as condições da empresa, tais como questões legais e direitos e deveres de ambas as partes.

A COF também deve deixar claro o valor da taxa inicial, os custos estimados com estoque, instalação, equipamentos e as taxas periódicas, as quais podem ser:

  • taxa de marketing;
  • taxa de sistema;
  • taxa de royalties.

Abaixo, explicamos melhor cada uma delas!

As 3 principais taxas de franchising

Taxa de marketing

Também conhecido como taxa de publicidade ou fundo de propaganda, esse valor é usado para as despesas de marketing da rede franqueada. 

Essa taxa de franchising costuma ser cobrada de uma dessas duas formas: quantia fixa paga mensalmente pelo franqueado, ou um percentual mensal sobre as vendas, geralmente entre 1% e 4%.

A vantagem dessa cobrança é que o franqueado não precisa se preocupar com a divulgação da marca, já que toda a estratégia de marketing digital e off-line é pensada e executada pelo franqueador.

Taxa de sistema

Como o próprio nome sugere, essa taxa corresponde às licenças e à utilização de softwares, hardwares e demais tecnologias necessárias para o funcionamento da franquia.

Porém, saiba que nem todas as redes fazem essa cobrança. Isso acontece porque ela tem relação com o modelo de negócio, segmento, estrutura operacional, entre outras características como essas.

Taxa de royalties

A taxa de royalties se refere ao uso contínuo da marca pelo franqueado e de todos os produtos e/ou serviços patenteados pelo franqueador. Ela também inclui a transferência constante de know-how e a atualização do modelo de negócio, caso tenha.

Uma das cobranças mais comuns e comentadas no mundo do franchising, os royalties também são uma das principais fontes de receita das redes de franquia.

A frequência de cobrança e os valores variam conforme a rede. É possível encontrar franquias que cobram essa taxa por semana, outras por mês, com porcentagens entre 4% e 10% da receita do franqueado proporcional ao período.

Há também franqueadores que determinam o pagamento de um valor fixo e em período pré-estipulado. 

Aproveite e leia também: “Redução de custos em franquias: guia 100% prático para colocá-la em ação

Mulher fazendo contas
A taxa de franquias é um valor único e fixo que precisa ser pago pelo franqueado ao franqueador no início da parceria.

Como funcionam as taxas de franquias?

Como você deve ter percebido, as taxas de franquias funcionam de acordo com as características da rede franqueada. Por isso, o que é cobrado, a frequência e os valores mudam bastante entre as franquias.

O mais importante quanto a isso é saber que existem taxas que são únicas, como a de ingresso, e outras que são recorrentes, a exemplo das que acabamos de citar.

Assim, se você está pensando em empreender nesse formato, é fundamental ter um bom controle financeiro empresarial. O motivo é que as taxas de franchising serão parte das despesas fixas da sua empresa, ainda que alguns custos variem conforme seu faturamento. 

O que estamos querendo dizer aqui é que essas taxas exigem atenção especial de quem pretende abrir uma franquia. Afinal, quem empreende quer um negócio de sucesso, e uma boa gestão financeira é essencial para alcançar esse resultado, não é mesmo?

Dica! Este artigo, certamente, ajudará você. Confira! “Plano de contas: o que, por que é importante e como montar um?

Como calcular a taxa de franquia?

E como saber se você conseguirá arcar com todas as taxas de franchising? Conhecer os valores antes ajudaria bastante, concorda? A questão é que não existe uma fórmula única que deva ser seguida por todos os franqueadores.

Como comentamos, os percentuais mudam conforme o modelo de negócio, porte, oferta de produtos e serviços, entre outras características.

No caso da taxa inicial, por exemplo, o cálculo costuma ser baseado em critérios, como:

  • preços cobrados pelos concorrentes do mesmo segmento;
  • valor da marca, no sentido de reconhecimento, consolidação, participação e tempo de atuação no mercado;
  • “número mágico”, que é um termo usado para se referir à cobrança de 10% do investimento feito para abrir uma unidade.

O fato é que um bom gerenciamento financeiro, certamente, ajudará a pagar todas as taxas de franchising e obter a lucratividade esperada com o seu negócio Para isso, a tecnologia é sua melhor aliada!

O F360 Finanças é um sistema de gestão multiempresas com recursos, como:

  • fluxo de caixa;
  • conta a pagar e a receber;
  • planejamento orçamentário;
  • e muitos outros!

Veja, na prática, como o F360 Finanças pode ajudar no seu dia a dia. Agende agora uma demonstração grátis!

Compartilhar
Avatar photo
Escrito por:

Maurício Galhardo

Head e curador do F360 Educa, apaixonado por finanças, autor de três livros de negócios e gestão financeira, com ampla experiência em treinamentos e palestras. Já treinou mais de 20 mil pessoas no varejo!

Você também pode se interessar por