mulher sorrindo com o celular na mão
Franquias 26/04/2024

Financiamento de franquia: quando fazer e qual o melhor tipo?

Compartilhar Array

O financiamento de franquia é uma linha de crédito liberada especialmente para a abertura desse tipo de negócio. Ele é diferente do fornecido para a compra de imóveis ou carros, por exemplo, contando com taxas de juros, prazos de pagamento e carências especiais.

Uma das vantagens de pedir um empréstimo para franquia em um banco ou financeira é que você solicitará dinheiro para um modelo de negócio já testado e aprovado. 

Como esses credores avaliam para quais fins o valor será usado, quando é para algo que, comprovadamente, dá retorno financeiro, a chance de aprovação aumenta.

E saiba que não são apenas esses lugares que você pode buscar para levantar a quantia que precisa para abrir sua loja. 

Investimentos de amigos, familiares e pessoas que acreditam no potencial da sua ideia também são ótimas opções. Outra alternativa é pegar empréstimo com o próprio franqueador — sim, muitas redes trabalham dessa forma.

Percebe que não precisa desistir do seu sonho de entrar no mercado de franchising por falta de dinheiro? Então, entenda agora tudo sobre financiamento de franquias e tire seu projeto do papel!

Como funciona o financiamento de franquia?

Tentar uma linha de crédito para abrir uma franquia, de maneira geral, funciona igual aos outros tipos de empréstimos. Isso porque você precisa definir uma quantia, buscar uma entidade credora, a exemplo de um banco, formalizar seu pedido e aguardar a aprovação.

O que diferencia o financiamento de franquia dos demais é que ele conta com facilidades e benefícios que os outros não têm. Normalmente, as taxas de juros são menores e, por isso, mais atrativas. 

Os prazos de pagamento também costumam ser mais longos, de modo que o franqueado possa diluir as parcelas em vários meses e ter mais tempo para pagar o empréstimo para franquia, enquanto trabalha para a loja gerar receita e lucros.

A carência, o tempo entre a liberação do financiamento e o pagamento da primeira parcela, também é maior. A ideia é dar ao franqueado o período necessário para iniciar as operações do negócio e ter retorno financeiro para começar a pagar o empréstimo.

Dica de leitura: “Franquia unitária ou master franquia? Como escolher o melhor modelo?

Por que o empréstimo para franquia é diferente dos demais?

Está se perguntando por que tantos benefícios? Um dos principais motivos é aquele que citamos logo na abertura deste artigo: franquias são modelos de negócios já testados e aprovados e, como tal, têm credibilidade.

Para um banco ou instituição financeira emprestar dinheiro para uma pessoa, seja ela física ou jurídica, eles analisam diversos pontos. E um deles é a capacidade de pagamento.

No caso, o financiamento de franquia tem um uso específico, isto é, só pode ser usado para esse tipo de negócio, certo?

Considerando que as lojas desse modelo têm chances comprovadas de faturamento, as entidades credoras entendem que o franqueado consegue pagar a quantia emprestada sem grandes problemas, razão pela qual oferecem tantas facilidades.

Não deixe de ler: “Como escolher a franquia ideal e fazer um bom investimento? Aprenda!

É possível pedir empréstimos para franquia em bancos, com amigos, parentes e investidores, ou diretamente com o franqueador

3 opções de financiamento para franquia

Existem diversas fontes que podem ser usadas para levantar o dinheiro que precisa para sua franquia. As três mais comuns são:

  • bancos públicos ou privados;
  • amigos, parentes e investidores;
  • próprio franqueador.

Veja mais detalhes!

1. Bancos públicos ou privados

O BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, é um ótimo exemplo de banco público que oferece empréstimos para franquias. Os valores liberados podem ser usados de diferentes maneiras, incluindo reforma e modernização da unidade.

Bancos privados também contam com esse tipo de oferta, lembrando que alguns deles consideram os segmentos empresariais. 

2. Amigos, parentes e investidores

Tem alguém que acredita na sua ideia e quer investir nela? Aproveite a oportunidade, desde que haja um acordo claro e devidamente formalizado entre vocês. 

Isso pode ser feito com amigos ou parentes, que podem emprestar a quantia que você precisa, ou mesmo por investidores interessados em diferenciar os tipos de negócio nos quais aplicam dinheiro.

3. Próprio franqueador

Como comentamos na abertura deste artigo, também é possível pegar empréstimo diretamente com o franqueador. A vantagem aqui é que essa transação financeira estará sendo feita “em casa”, por pessoas realmente interessadas e empenhadas em fazer a rede crescer.

O franqueador, mais do que ninguém, sabe o potencial da rede e, nesse cenário, emprestar dinheiro para quem quer ser dono de uma unidade é bastante vantajoso para ele.

Entretanto, antes de pegar o dinheiro emprestado dessa forma, avalie bem as condições de pagamento, os prazos e juros, comparando com o oferecido por outras entidades credoras para confirmar se essa opção é mesmo vantajosa.

Sugestão de leitura: “Circular de Oferta da Franquia (COF): manual completo para não errar

Quando fazer um financiamento de franquia?

Existem diversos momentos do ciclo de vida de uma franquia nos quais pode ser necessário pedir um financiamento. Alguns são:

  • abertura do negócio;
  • expansão da unidade;
  • renovação do estoque;
  • cobrir fluxo de caixa negativo;
  • pagamento das taxas
  • entre vários outros.

Porém, é preciso ter muita atenção antes de pedir um empréstimo desse tipo. A principal razão é que, mesmo com tantas facilidades, sobre o dinheiro liberado, incidem juros; e, no caso de atrasos ou não pagamento, multas.

Todos esses valores comprometem a margem de lucro e afetam seriamente a gestão financeira do negócio.

Sendo assim, antes de tentar um empréstimo para franquia, analise bem sua condição financeira, levando em conta:

  • a capacidade de faturamento da loja, considerando critérios como cenário econômico e frequência de compra dos clientes, entre outros pontos relacionados;
  • percentuais cobrados sobre o valor liberado e quanto as parcelas comprometem a receita mensal do seu negócio;
  • se não é possível renegociar dívidas, caso esse seja o motivo da solicitação do financiamento;
  • nível de risco em relação ao bem que deu como garantia (algumas instituições financeiras pedem a apresentação de imóveis ou veículos).

Seguindo essa linha de raciocínio, que tal conferir algumas dicas de como melhorar o gerenciamento monetário da sua franquia? Aproveite que está aqui, no blog da F360, para ler o artigo “Sistema financeiro multiempresas: como ele muda a gestão de franquias?“.

Compartilhar Array
Avatar photo
Escrito por:

Henrique Carbonell

CEO & CoFounder at F360 - Franchisee at O Boticário