pessoas usando caixa de loja
Finanças 06/11/2023

Gestão de varejo: como realizar de maneira eficiente? 7 dicas!

Compartilhar Array

A gestão de varejo pode ser definida como um conjunto de processos e técnicas usados para planejar, analisar e monitorar áreas fundamentais para o bom funcionamento de empresas varejistas, como o gerenciamento de pessoal, finanças e outros.

Entre os tipos de gerenciamentos, a gestão financeira merece atenção especial. Afinal, sem o controle correto dos valores que entram e saem da empresa, fica um tanto complicado planejar os próximos passos e crescer de forma sustentável, concorda?

Embora a atividade possa parecer óbvia, infelizmente, muitos gestores ainda a deixam de lado ou cometem erros básicos. Um ótimo exemplo de falha é não separar as contas pessoais das empresariais.

Trabalhar dessa forma pode dificultar a identificação dos reais lucros gerados pelo seu empreendimento, além de complicar a compreensão sobre a disponibilidade de dinheiro em caixa. 

Com certeza, você não quer ter esse tipo de problema na sua empresa, não é mesmo? Por isso, criamos este artigo. Ao longo das próximas linhas, falaremos sobre os principais pontos para uma gestão de varejo eficiente, com foco nos aspectos financeiros.

Então, não perca mais tempo. Siga a leitura e confira quais são agora mesmo!

O que é gestão de varejo?

Gestão de varejo é um conjunto de práticas voltadas para o gerenciamento de um negócio. Nesse contexto, estão ações como:

  • organização e controle de processos internos;
  • atendimento de normas e leis específicas do ramo de atuação;
  • planejamento estratégico;
  • definição, análise e monitoramento de diferentes recursos, como financeiros e humanos.

Exemplos de gestão de varejo

Para deixar o conceito mais claro, usaremos alguns exemplos de gestão de varejo. Acompanhe!

Escolha de produtos e precificação

Na prática, a escolha dos produtos que serão comercializados e a precificação de cada um deles, não é uma tarefa tão simples. Afinal, esse processo inclui não apenas definir qual será o preço das mercadorias ou serviços que serão vendidos, mas a margem de lucro da empresa.

Como você deve estar imaginando, é preciso fazer muitos cálculos, subtrair custos e despesas e considerar vários pontos antes de precificar algo e colocar no mercado, certo?

Atividades de rotina

Paralelamente a isso, sua empresa está em pleno funcionamento, o que gera diversos outros processos. É preciso, por exemplo, pagar fornecedores, funcionários, lidar com parceiros de negócio, entre outras atividades que requerem a sua atenção para gerarem bons resultados.

O que queremos dizer é que a gestão de varejo é um conceito bastante amplo, que contempla inúmeras atividades fundamentais para o funcionamento adequado e o crescimento do negócio.

Por isso, a fim de facilitar o gerenciamento, as atividades podem (e devem) ser divididas em frentes de atuação, como é o caso da gestão financeira do varejo, que explicaremos mais adiante.

Quais as principais vantagens de uma boa gestão de varejo?

Agora, é hora de pensar nos motivos pelos quais essa prática é tão importante. Afinal, somente com uma gestão bem feita, é possível alcançar um crescimento sustentável e lucrativo.

Essas já são ótimas vantagens, não é mesmo? Somado a essas, a gestão de varejo trás vários outros benefícios para o seu negócio. Entre os que mais se destacam, estão:

  • reconhecimento da realidade da empresa;
  • melhor aproveitamento dos recursos;
  • precificação mais precisa, lucrativa e competitiva;
  • planejamento estratégico mais bem estruturado.

O que é gestão financeira no varejo?

Gestão financeira no varejo é um conjunto de processos, atividades e práticas voltadas especificamente para a parte monetária do negócio. O objetivo desse processo é analisar, planejar e controlar todo o fluxo financeiro, incluindo pontos como:

  • registro de entrada e saída de valores;
  • previsão e controle de gastos fixos e variáveis;
  • administração de ativos e passivos;
  • planejamento financeiro;
  • interpretação de relatórios e monitoramento fiscal.

Quais as vantagens da gestão financeira no varejo?

Já que falamos há pouco sobre as vantagens da gestão de varejo de modo geral, vale a pena destacarmos, também, os pontos positivos da gestão financeira:

  • tomadas de decisão melhores sobre gastos e aquisições;
  • definição mais precisa de direcionamento de recursos (investimentos);
  • melhor previsão financeira;
  • aumento da capacidade de honrar com os compromissos financeiros;
  • preservação do patrimônio do negócio;
  • potencial para manter o caixa positivo e elevar a receita.

Dica! Aproveite e leia também: “Guia completo para um fechamento de caixa impecável

Como fazer gestão financeira no varejo? 7 dicas!

Há um ponto bem importante que você precisa ter em mente: todas as vantagens que citamos até agora só serão sentidas se a gestão financeira para varejo for realizada corretamente. 


A pergunta que deve estar na sua mente agora é: “Mas como fazer isso?” Não se preocupe! As dicas que apresentaremos a seguir ajudarão você!

1- Entenda a realidade e as particularidades do seu negócio

Cada unidade varejista tem suas características e particularidades. A gestão de franquias, por exemplo, tem a vantagem de contar com um modelo padronizado e seguido por todos os franqueados, o que tende a facilitar o processo.

Porém, atenção! A padronização não garante o sucesso da sua unidade! Por isso, você deve pensar na sua empresa como única, ainda que faça parte de uma rede.

Desse modo, uma boa gestão de franquias deve contar com pontos como:

  • alinhamento às políticas da franqueadora;
  • conhecimento aprofundado do mercado de atuação;
  • uso de KPIs de desempenho;
  • gestão financeira eficiente, contemplando acompanhamento pontual de fluxo de caixa, controle de gastos, emissão de demonstrativos de faturamento e mais.

2- Defina os objetivos que pretende alcançar com a gestão de varejo

A gestão financeira para varejo ajuda no atendimento dos prazos e obrigações, a exemplo do pagamento de fornecedores, funcionários e impostos em dia. Mas sabia que você também pode usá-la como uma ferramenta de crescimento para a sua empresa?

Para isso, você deve definir quais objetivos pretende alcançar. Aqui, estamos falando estratégias como:

  • aprimorar o fluxo de controle de entrada e saída de valores;
  • melhorar a precificação dos produtos e, com isso, aumentar a lucratividade;
  • buscar meios de economizar para abrir outra unidade;
  • quitar dívidas.

Como você pode ver, um bom controle financeiro no varejo ajuda em muitas outras frentes, indo além de promover uma melhor gestão de fluxo de caixa.

3- Elabore um plano de ação

Para que os pontos acima se tornarem realidade, é fundamental saber quais passos seguir, afinal, você não quer perder tempo, nem dinheiro, acertamos? Então, é hora do plano de ação.

Pensando especificamente na gestão financeira, o planejamento deve abordar questões como:

  • Quais medidas tomar para elevar o volume de vendas?
  • Qual deve ser o orçamento de gastos com pessoal no próximo ano?
  • Qual a projeção de faturamento para o semestre seguinte?

Responder a perguntas como essas é uma forma de direcionar e embasar seu plano de ação e, com isso, chegar a mais e melhores resultados.

4- Alinhe a atuação dos departamentos

Estoque, logística, marketing e vendas são apenas alguns exemplos de departamentos que precisam trabalhar juntos para ajudar a elevar o faturamento da sua empresa. Um dos principais motivos é o fato de que a atuação de um setor afeta diretamente o outro. 

O marketing, por exemplo, precisa conhecer a capacidade de atendimento da equipe de vendas antes de lançar campanhas de divulgação. Já o setor de vendas necessita saber se há, em estoque, a quantidade que pretende vender para atingir a meta, ou se é preciso esperar reposição, a fim de evitar transtornos com os clientes.

Por motivos como esses é que a integração deve ser parte da gestão financeira para o varejo.

Uma das melhores maneiras de fazer isso é incluir os setores durante o processo de elaboração do planejamento orçamentário. 

Dessa forma, cada gestor responsável pode se manifestar quanto à necessidade de verbas da área e para quais fins o dinheiro será aplicado, contribuindo para a empresa como um todo.

5- Garanta bons fluxos de trabalho

É possível definir o fluxo de trabalho como a ordem em que as atividades acontecem. Por exemplo, na sua loja, qual a sequência para requisitar itens de reposição de estoque? A dinâmica está satisfatória ou gerando gargalos?

Neste exemplo, você deve analisar também se o fluxo de trabalho atual não está gerando perdas financeiras. No caso, a gestão de estoque está bem-feita ou resulta na compra de produtos desnecessários por falta de verificação correta?

Esse princípio deve ser aplicado em outras frentes também, tais como:

  • cumprimento de prazos de pagamento de contas: há uma agenda que ajuda a gerenciar as despesas e garantir que tudo será pago em dia?
  • controle de inadimplência: sua empresa tem um fluxo efetivo de perdas financeiras decorrente do não recebimento de valores por parte dos clientes?

6- Use a tecnologia a seu favor

Os softwares de gestão são fundamentais para organizar adequadamente o seu negócio. Afinal, fazer todas as tarefas que contemplam o gerenciamento de forma manual demanda tempo e aumenta as chances de erros.

Ao usar os sistemas certos, fica muito mais fácil manter o controle financeiro, por exemplo. Além disso, sua rotina e de seus colaboradores é simplificada, elevando a produtividade de todos.

Quer mais? Contar com a tecnologia para aprimorar a gestão de varejo também aumenta a segurança dos dados e informações, diminui o retrabalho e ajuda a integrar a atuação dos departamentos. 

7- Acompanhe e mensure os resultados

Por fim, é fundamental acompanhar e mensurar todos os resultados de perto. Somente dessa forma, você saberá quais estratégias estão dando certo e quais precisam ser ajustadas para alcançar os objetivos definidos anteriormente.

Extra! Este artigo também ajudará você. Confira! “9 mitos sobre gestão financeira de lojas e franquias

Erros para evitar na gestão no varejo

Dicas como essas ajudam bastante, concorda? Mas lembre-se de que isso não é garantia de que tudo sairá como esperado. 

Quanto a isso, não se preocupe! Todos somos passíveis de erros, especialmente quando estamos aprendendo algo.

Uma boa maneira de evitar as falhas é conhecendo-as. Assim, você tem ciência de quais são e já toma as devidas medidas para evitá-las.

Partindo desse modo de pensar, os erros mais comuns na gestão financeira de varejo são:

  • não separar as contas pessoais da empresariais, como citamos na introdução deste artigo;
  • abrir mão de registrar todos os lançamentos;
  • negligenciar o controle de estoque;
  • deixar de dar a devida atenção para o fluxo de caixa;
  • não usar um bom sistema para varejo.

Confira, agora, detalhes de cada um desses erros.

Não separar as contas pessoais das empresariais

A prática tem relação direta com o início da jornada empresarial. Isso porque, em empreendimentos recentes, é mais comum os gestores não separarem as contas pessoais das contas da empresa, seja por falta de conhecimento, de prática, ou por ter injetado dinheiro próprio no negócio e achar que essa dinâmica facilita o retorno. 

Entretanto, essa não é uma conduta indicada. Como comentamos logo na abertura deste artigo, não separar as contas dificulta o gerenciamento das receitas da empresa, a identificação de lucros ou não, entre outros pontos relacionados.

Abrir mão de registrar todos os lançamentos

Será que fechar o caixa no final do dia é apenas uma formalidade? Tenho mesmo que registrar todas as entradas e saídas de valores? Se você também tem essas dúvidas, saiba que o controle pontual de todos os lançamentos é muito importante para a saúde financeira do seu negócio.

Somente por meio desse gerenciamento você consegue, por exemplo, saber quanto tem disponível em caixa para pagar contas e investir. Esse é, portanto, um dos erros a serem evitados na gestão no varejo. 

Negligenciar o controle de estoque

Não gerenciar o estoque corretamente leva a gastos desnecessários. Afinal, você corre um sério risco de comprar itens que já tem disponíveis. Além disso, dependendo do ramo de atuação, os produtos que estão armazenados podem vencer, aumentando seu prejuízo financeiro.

Deixar de dar a devida atenção para o fluxo de caixa

O fluxo de caixa contempla todos os ganhos e despesas, e seu gerenciamento é fundamental para identificar se a empresa tem saldo suficiente para cobrir os custos operacionais e fazer investimentos.

Somente essa explicação já deixa clara a importância de fazer o gerenciamento, concorda? Do contrário, você corre um sério risco de gastar mais do que tem em caixa, gerando dívidas desnecessárias para o seu negócio.

Não usar um bom sistema para varejo

Como comentamos, a tecnologia é uma importante aliada da gestão de varejo, especialmente a financeira. Logo, não usá-la é um erro que afeta a produtividade dos profissionais e compromete o crescimento do negócio.

Nesse sentido, qual seria o melhor sistema para varejo? Aqui vai uma boa dica: o F360 Finanças é uma solução de gestão financeira multiempresas.

Com essa ferramenta, você consegue:

  • realizar atividades como:
  • fluxo de caixa;
  • gestão de contas a pagar e receber;
  • DRE;
  • planejamento orçamentário;
  • integração com PDV e adquirentes;
  • conciliação com vouchers.

E muito mais! Confira, na prática, como o F360 Finanças funciona. Agende agora mesmo uma demonstração grátis!

Compartilhar Array
Avatar photo
Escrito por:

Tálita Gonçalves

Redatora e analista de conteúdo F360

Você também pode se interessar por