Homem e mulher trabalhando
Finanças 22/01/2024

Controle de custos: como realizar corretamente? 7 dicas!

Compartilhar Array

O controle de custos pode ser definido como uma atividade gerencial formada por diversas práticas que, juntas, ajudam empreendedores e gestores a identificarem os gastos da empresa e a encontrar maneiras de reduzi-los. Um dos principais objetivos é elevar o percentual de lucro.

Essa é uma abordagem que ajuda a gastar menos para manter o negócio funcionando, sem que isso afete a qualidade do que é vendido e, consequentemente, o relacionamento com os clientes. Como resultado, o negócio tem a chance de alcançar uma margem de lucro maior.

Para ficar mais claro, pense que a gestão de custos no varejo funciona como o controle financeiro que você faz na sua casa. Concorda que a ideia é verificar para onde o dinheiro está indo, se as despesas são realmente justificáveis, se trazem algum benefício, e se podem ser eliminadas ou, ao menos, reduzidas?

Porém, quando se trata de uma empresa, tudo isso que acabamos de explicar é muito maior e mais expressivo, além de contar com vários processos e pessoas envolvidas.

E é por conta dessas características que você precisa saber como é feito o controle de custos no varejo.

Neste artigo, falaremos sobre essa gestão, como ela pode ser realizada e sete dicas de como diminuir os gastos da sua loja. Continue a leitura e confira!

O que é controle de custos?

O controle de custos, que também pode ser chamado de gestão de gastos, é um processo administrativo e financeiro utilizado por gestores e profissionais contábeis para verificar, analisar, monitorar e organizar todas as despesas de uma empresa, sejam elas fixas ou variáveis.

Por meio de planilhas, relatórios e sistemas de gestão financeira, é possível levantar todos os custos do negócio, tais como valores necessários para a compra de produtos ou entrega dos serviços, pagamento de aluguel e fornecedores, aquisição de matérias-primas, entre outros.

Ao fazer isso na sua loja, você consegue ter uma visão mais clara sobre o que está afetando negativamente sua rentabilidade e, a partir desse ponto, pensar em estratégias para mudar esse cenário.

Quais as vantagens da gestão de custos no varejo?

Vantagens e objetivos se misturam e se complementam quando o assunto é gestão de custos no varejo. Isso porque, ao fazer esse tipo de gerenciamento na sua franquia, você notará que é possível:

  • diminuir gastos;
  • manter, ou mesmo aumentar, a produtividade sem gerar novas despesas;
  • elevar a margem de lucro;
  • aumentar o poder competitivo e a capacidade de escalabilidade;
  • aprimorar o relacionamento com os clientes, por conta da prática de preços melhores e, por vezes, menores.

E tudo isso acontece a partir da identificação e redução de despesas e gastos desnecessários na sua loja!

Dica! Não deixe de ler este artigo: “Redução de custos em franquias: guia 100% prático para colocá-la em ação

O controle de custos é fundamental para manter a saúde financeira da sua franquia

Como reduzir custos no varejo? 7 dicas!

Agora que você sabe o que é gestão de custos no varejo, resta apenas descobrir como reduzir os valores na sua loja, não é mesmo? Para isso, algumas das práticas que você pode adotar são:

  1. defina o tipo de controle de custo que será feito;
  1. use bons indicadores de gestão financeira;
  1. estabeleça metas e objetivos em curto, médio e longo prazo;
  1. reveja a precificação dos produtos ou serviços vendidos;
  1. identifique um bom ponto de equilíbrio;
  1. mantenha as contas a pagar e a receber organizadas;
  1. utilize um sistema de gestão financeira robusto.

1. Defina o tipo de controle de custo que será feito

Existem diferentes tipos de controle de custos, e definir qual será o foco do seu gerenciamento de redução de despesas é o primeiro passo. São eles:

  • custos diretos: fundamentais para a fabricação do produto ou serviço vendido, tais como embalagens, matéria-prima, insumos, entre outros;
  • custos indiretos: também relacionados ao que é comercializado, porém, não se refere à fabricação propriamente dita, por exemplo, estoque e logística;
  • custos de produção: vinculados aos itens essenciais para a fabricação de algo, e incluem despesas fixas e variáveis;
  • custos variáveis: são os que ajudam nas vendas, mas que são inconstantes, mutáveis e opcionais, como gastos com marketing digital;
  • custos fixos: despesas essenciais para o funcionamento da empresa como um todo, por exemplo, aluguel de espaço, energia elétrica e internet.

Entenda mais lendo este artigo: “Gastos fixos x gastos variáveis

2. Use bons indicadores de gestão financeira

Indicadores de gestão financeira são ferramentas que ajudam a calcular os resultados monetários do seu negócio. Alguns que ajudarão na sua gestão de custos são:

  • margem bruta;
  • margem líquida;
  • margem EBITDA (Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização);
  • margem de contribuição;
  • ponto de equilíbrio;
  • retorno sobre o investimento (ROI);
  • custos fixos e variáveis;
  • custo da mercadoria vendida.

3. Estabeleça metas e objetivos em curto, médio e longo prazo

Outro boa maneira de reduzir custos no varejo é estabelecendo metas e objetivos, isto é, definir quanto pretende economizar na sua loja e em quanto tempo.

Para isso, você deve fazer uma avaliação realista e precisa do que pode ser cortado ou reduzido. Mas, atenção! Garanta que isso não comprometa a qualidade dos produtos e/ou serviços que oferece para seus clientes.

Aproveite e leia também: “9 mitos sobre gestão financeira de lojas e franquias

4. Reveja a precificação dos produtos e serviços vendidos

Quanto maior o preço de um item, mais lucro a empresa tem. Bem, nem sempre! Valores altos podem indicar que os custos da produção estão elevados, o que faz com que o preço final de venda siga a mesma proporção para a loja ter margem de lucro.

Diante disso, uma dica para reduzir custos é rever sua estratégia de precificação. Com isso, você consegue verificar o que está levando à cobrança daqueles preços, por exemplo, compra de itens para revenda ou despesas com embalagens e entrega.

5. Identifique um bom ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio no varejo é um indicador que aponta quanto um comércio precisa vender para alcançar receita suficiente para cobrir despesas e custos.

A partir do momento que você identifica o da sua loja, fica mais fácil calcular quanto de gastos precisa reduzir. Dessa forma, não apenas descobre quanto precisa faturar, mas também como ter uma margem de lucro maior.

6. Mantenha as contas a pagar e a receber organizadas

Uma boa gestão de contas a pagar e a receber é fundamental para reduzir os custos da sua loja. O motivo? Um deles é que pagar contas em atraso gera multas e juros que poderiam, facilmente, serem evitados.

Outra razão é que não saber quanto tem para receber afeta seu fluxo de caixa, o que pode fazer com que tenha que pegar empréstimo para arcar com os compromissos financeiros mensais, reduzindo sua margem de lucro.

Certamente, não é isso que você quer, não é mesmo?

7. Utilize um sistema de gestão financeira robusto

Por fim, utilizar um bom sistema de gestão financeira faz toda a diferença no controle de custos da sua loja. Com o software certo, você tem um acompanhamento muito mais preciso de todas as entradas e saídas de valores, ajudando você a identificar em quais pontos pode economizar.

O F360 Finanças é um sistema de gestão financeira multiempresas que traz visibilidade sobre os custos para o lojista e quais são os gargalos desse gerenciamento, otimizando o controle financeiro

Agende agora uma demonstração grátis e confira, na prática, como essa solução funciona!

Compartilhar Array
Avatar photo
Escrito por:

Tálita Gonçalves

Redatora e analista de conteúdo F360