ilustração de homem regando um vaso com dinheiro
Finanças 13/12/2022

Ano novo, vida nova?

Compartilhar Array

Tenho certeza de que você já ouviu ou mesmo já falou a frase: “Ano novo, vida nova”. E chegando agora ao final de 2022 me pergunto: Quantos conseguirão essa tal “vida nova” em 2023 ou nos anos que se seguem?

O fato é: para se mudar algo não basta somente a decisão para a mudança! É importante também a execução e o acompanhamento para que a transformação realmente aconteça e se mantenha. 

Assim, pensando nos aspectos voltados à boa gestão financeira das pessoas e de seus negócios, trago aqui 5 dicas que valem tanto para a pessoa física quanto para a pessoa jurídica (empresa), fique atento!

  1. Planejamento:

Toda e qualquer pessoa pode montar seu planejamento para 2023. Não é difícil. Basta começar com uma folha de papel e uma caneta. Escrever ali o que se deseja para o próximo ano, reforçando o que é realmente importante. 

Após escrever estes grandes “sonhos”, tente transformá-los em objetivos claros. Acrescente prazos, valores e possíveis caminhos para chegar lá. Note que você precisará pensar nos recursos (tempo, dinheiro, dedicação etc.) e assim filtrar o que será possível aplicar em 2023 ou, eventualmente, o que precisará planejar para 2024, 2025 e assim por diante. 

Na empresa

Recomendo iniciar pela previsão do volume de vendas. Com base nestas informações, crie também seu planejamento de compras, impostos e demais despesas. O exercício do planejamento financeiro nos permite “viajar para o futuro” imaginando situações, fazendo simulações, pensando em reservas de segurança e principalmente estabelecendo uma meta de lucro a ser atingida.

História para reflexão

No clássico “Alice no País das Maravilhas” há um momento em que Alice está perdida, tentando encontrar o coelho branco, quando à sua frente aparecem várias bifurcações. Há placas indicando os caminhos, mas, como Alice não conhece o lugar, fica pensando qual deles tomar. Neste momento, em voz alta, ela pergunta:

– E agora, por onde vou?!

De repente aparece em cima de uma árvore, como num passe de mágica, um grande gato listrado (o famoso Gato Mestre), que a interroga:

– Posso ajudá-la?

Alice assusta-se, mas, como não existe mais ninguém por ali que possa lhe dar alguma informação, questiona:

– Senhor Gato Mestre, eu só queria saber que caminho tomar.

O gato então lhe responde:

– Oh! Isso depende do lugar aonde quer ir.

E Alice então explica:

– Mas eu não sei onde quero ir.

Então, o Gato Mestre lhe dá a solução:

– Se você não sabe para onde ir, qualquer caminho lhe serve.

Moral de história

Se você não tiver um objetivo claro do que quer realizar, provavelmente vai perder tempo e dinheiro e ainda vai ficar frustrado por não ter conseguido realizar algo em sua vida. Crie seus objetivos e planeje-os!

  1. Compras:

Final de ano é época de comprar, certo? Depende. Na realidade, você é estimulado a isso por quem quer vender, para que você se sinta tentado a comprar. 

Portanto, a dica aqui é simples. Vai ao supermercado, ao shopping ou vai passar pelo centro de compras do seu bairro? Faça uma lista com o que é realmente necessário comprar e evite o “vou só dar uma olhadinha”.

Procure não levar crianças, pois elas sempre vão lhe pedir para comprar algo que é “baratinho” e vai ser difícil resistir. Vá ao supermercado, por exemplo, após a refeição. Ir de barriga vazia pode lhe estimular a comprar algo que você até merece, mas que não precisa. E é de pouquinho em pouquinho que gastamos muito mais do que deveríamos

Na empresa: 

Se você é empreendedor, programe as compras da empresa para o final de ano para não faltar nada, mas também para não sobrar muito. Até porque, dependendo do produto, principalmente no caso dos perecíveis, existe o  baixo prazo de validade, ou em outros casos, o produto pode ficar desatualizado,  forçando-o a vendê-lo nas tradicionais liquidações de Janeiro, com margem reduzida.

História para reflexão: 

O Sr. Armando já passou por muitos Natais e sabe que, principalmente em Dezembro, a procura é muito grande por alguns produtos. Assim, para não perder oportunidades, o Sr. Armando durante todo o ano procura fazer sua listinha de compras de fim de ano. Nesta seleção, ele coloca os presentes dos netos, seu próprio presente, afinal de contas, ele também merece, entre outros. 

Sabendo antecipadamente do interesse por estes produtos, ele costuma fazer buscas na Black Friday para tentar comprar o que precisa. Quando não consegue, corre para adquiri-los, ainda no início de Dezembro, (como no caso do presente dos netos, que tem data para serem entregues). Porém, para seu próprio presente, muitas vezes deixa o ano novo passar e busca uma melhor opção, mais barata, nas liquidações de Janeiro e Fevereiro.

Moral de história: 

Compra melhor quem se programa e quem tem dinheiro para pagar à vista. Muitas vezes, comprar antes com desconto, pode valer bem a pena.

Planeje suas compras com antecedência 

  1. Vendas:

Mesmo quem não trabalha diretamente com vendas está, de uma forma ou outra, sempre vendendo algo. Quando cumprimos com algo que prometemos ou até mesmo quando superamos os desejos dos outros sendo gentis, educados e respeitosos, por exemplo, estamos gerando confiança nas outras pessoas. 

Querendo ou não, estamos vendendo uma imagem aos outros. Isso atrai pessoas, pois as pessoas querem estar próximas e conversar com gente que agregue, que transmita uma boa imagem.

Na empresa: 

Em uma empresa, além de vender imagem, confiança, respeito, vendemos também produtos ou serviços aos nossos clientes. E com o aumento da procura, o final de ano passa a ser um momento crucial. 

Assim, além de pensarmos na disponibilidade dos produtos (estoques), divulgarmos nosso negócio e ofertas, e treinarmos nossas equipes de vendas para gerar um atendimento humanizado, é importante avaliarmos o quanto nós mesmo, como donos ou funcionários,  estamos vendendo uma boa imagem.

História para reflexão: 

Mariana é vendedora em uma loja de sapatos e, para conseguir aumentar as vendas, às vezes “mente” um pouco. A cliente pergunta: Ficou bonito? E a Mariana sempre responde: “Claro, parece que estes sapatos foram feitos pra você”. O lema da Mariana é: “Responda o que a cliente quer ouvir, deixe-a feliz e ela comprará mais!”. Será?

Moral de história: 

Lembre-se que um bom planejamento pode fazer toda a diferença nas vendas, principalmente no final de ano. Ter e conhecer o estoque para mostrar aos clientes, estar treinada para atender bem, divulgar os produtos para que as clientes saibam que sua empresa trabalha com os produtos que ela quer etc., vão sempre lhe ajudar nas vendas. Mas nunca minta! 

A “pequena mentira” pode até ajudar numa venda ou outra, mas quando é revelada, pode destruir toda a reputação do vendedor, da loja ou até da marca. Sinceridade com educação vende mais, pode acreditar.

  1. Controle de Informações:

A maioria das pessoas que conheço não possuem um controle tão eficiente de seus gastos pessoais. Com isso, não controlam suas entradas e saídas financeiras e rotineiramente se veem perante dificuldades para pagar a fatura de seu cartão de crédito, para comprar um item de maior valor, para planejar uma viagem ou mesmo para realizar seus grandes sonhos de vida. 

Controlar informações financeiras requer disciplina, começando pela rotina em anotar diariamente tudo que se gasta, por exemplo.

Na empresa: 

O controle das despesas e das receitas numa empresa é imprescindível, mas ainda tem muita gente acompanhando no “chute” os números. Com isso, não consegue entender se a empresa gera lucro ou prejuízo, se terá dinheiro no caixa no futuro ou o porquê está sem saldo para pagar as contas hoje. 

História para reflexão: 

João é funcionário de uma empresa e recebe 13º salário, parte em Novembro e parte em Dezembro. No entanto, no último final de ano usou grande parte de suas receitas para pagar dívidas. Em Janeiro teve que recorrer ao cartão de crédito para pagar o IPVA do seu carro e comprar os materiais da escola dos seus filhos. 

Neste ano, por saber que precisava se organizar melhor, apertou as contas mensais e desde Julho veio reservando dinheiro para uma viagem, sem acumular dívidas. A expectativa de João é usar o 13º salário deste ano para pagar o IPVA, materiais escolares e outros gastos de início de ano sem comprometer o cartão. 

Além disso, com o que acumulou, pretende fazer uma viagem de férias, que praticamente já está paga, em Fevereiro, por ter conseguido melhores valores para esta época do ano.

Moral de história: 

Ter as informações nos dá melhor visão se precisamos ajustar algum hábito de vida. Fazer controle de finanças – pessoais ou empresariais – não necessariamente é prazeroso para muitos, mas o orgulho de planejar uma viagem, a compra de um imóvel ou a abertura de uma nova loja, por exemplo, com certeza compensam.

Analise as informações financeiras com regularidade 

  1. Ações:

Como já afirmaram Ram Charan e Larry Bossidy, em seu livro “Execução”, a “Execução é uma disciplina para se atingir resultados”. Uma ideia, por si só, não vale nada. Tirar a ideia do papel e colocá-la em prática é que pode gerar algum valor.

Assim, deixo-lhe algumas perguntas como reflexão:

  1. Você conhece seus números financeiros? O que pode fazer para tê-los?
  2. Você já parou para refletir e analisar sua vida financeira? 
  3. Qual seu plano para este final de ano? O que pretende realizar/obter/atingir?
  4. E para os anos seguintes? Você (e sua empresa) tem metas claras e possíveis?
  5. O que você pode começar a fazer hoje, mesmo que seja uma pequena ação, que pode lhe trazer impactos maravilhosos no médio e longo prazo?
  6. Então, por que não começa agora?
Compartilhar Array
Avatar photo
Escrito por:

Maurício Galhardo

Head e curador do F360 Educa, apaixonado por finanças, autor de três livros de negócios e gestão financeira, com ampla experiência em treinamentos e palestras. Já treinou mais de 20 mil pessoas no varejo!